Como comprar um imóvel / Educação Financeira

Como ter um planejamento financeiro eficiente para compra de imóveis

Compartilhe:
Imagem de destaque

Quando o assunto é comprar um imóvel próprio, a primeira coisa que vem à mente é o planejamento financeiro, não é mesmo?! E não poderia ser diferente. Isso porque planejar como será a realização desse sonho é fundamental para alcançá-lo.

Foi pensando nisso que selecionamos alguns caminhos possíveis para você começar a pensar nos detalhes e conquistar o seu apartamento próprio, do jeito que sempre desejou. Vamos lá?!

Planejamento financeiro: por onde começar?

Um dos primeiros passos é definir a sua meta final, ou seja, qual é o perfil de imóvel que está buscando. Normalmente, casas são mais caras do que apartamentos, por exemplo. Então, o ideal é identificar qual imóvel seria suficiente para suprir as suas necessidades, desde espaço à mobilidade.

Portanto, ao determinar seu imóvel de interesse, é indicado iniciar algumas pesquisas que possibilitem estipular uma média entre os benefícios, vantagens e desvantagens de determinadas opções e regiões. Dessa forma, você consegue prever, aproximadamente, o valor total do investimento.

Saldo FGTS

Muitas pessoas não sabem, mas o FGTS funciona como uma espécie de poupança obrigatória. Isso mesmo! Foi uma maneira encontrada pelo governo de garantir que o  trabalhador tenha sempre uma reserva financeira para casos de emergência.

Porém, é possível utilizar o FGTS para adquirir um imóvel. Dessa forma, seguindo os requisitos abaixo, ele pode e deve ser considerado no planejamento financeiro: 

>> Ter trabalhado de carteira assinada por pelo menos 3 anos (contínuos ou não);

>> Não ter outro financiamento ativo pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH);

>> Não ser proprietário de outro imóvel no mesmo município onde pretende comprar;

>> Trabalhar ou morar no município onde pretende comprar o imóvel.

Além disso, você também deverá comprovar os dados pessoais por meio da apresentação de alguns documentos: 

  • Carteira de trabalho;
  • Comprovante de residência (contas de água, luz ou telefone);
  • Certidão de nascimento ou de casamento, se você for casado;
  • Documentos de identidade (RG e CPF);
  • Certidão de matrícula do imóvel que deseja comprar.

Financiamentos disponíveis

Além do aproveitamento do FGTS, você também deve incluir no planejamento financeiro uma pesquisa ampla sobre os financiamentos imobiliários disponíveis, bem como seus requisitos, prós e contras. 

Muitas instituições financeiras oferecem linhas de financiamento especiais para quem deseja comprar o imóvel próprio e, normalmente, têm condições atrativas. Inclusive, vale lembrar que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil são os que costumam oferecer condições diferenciadas, com juros mais baixos e prazos maiores. 

Programas sociais

Outra possibilidade a ser incluída no planejamento financeiro é a avaliação dos programas sociais para habitação. Dessa forma, o Casa Verde e Amarela, antigo Minha Casa, Minha Vida, é um exemplo disso. 

Ainda que repaginado, ele é o programa mais conhecido do Brasil e oportuniza a conquista do imóvel próprio aos brasileiros com renda menor. Atualmente, ele se divide nas seguintes categorias:

>> Famílias com renda bruta de até R$ 2.000,00 – podem adquirir o imóvel com taxa de juros nominal de até 4,75% a.a. e nesta condição os subsídios podem chegar até R$ 47.500,00. 

>> Famílias com renda bruta de R$ 2.0001,00 até R$ 4.000,00 – a taxa de juros nominal do financiamento pode chegar até 5,25% a.a. e os subsídios até R$ 29.000,00.

>> Famílias com renda bruta de R$ 4.001,00 até R$ 7.000,00 – para essas famílias, na aquisição da casa própria, é disponibilizada taxa de juros nominal de 7,66% a.a.

Vale ressaltar que o valor máximo do imóvel para financiamento no programa é de R$ 264.000,00 e que muitos estados e municípios têm seus próprios programas habitacionais para incentivo à compra do imóvel próprio.

Outras dicas infalíveis

Além de todas as sugestões que pontuamos acima, também selecionamos algumas dicas mais objetivas para você economizar dinheiro e colocar em prática antes mesmo de pesquisar os detalhes do imóvel dos seus sonhos. 

>> Apps específicos: 

Hoje, já existem muitos aplicativos e ferramentas que auxiliam na hora de colocar as despesas “na ponta do lápis”. O GuiaBolso, por exemplo, é um dos apps mais usados no Brasil devido às funcionalidades de utilização simples e intuitiva. Ele apresenta todas as informações de recebimento, despesas, investimentos, etc.

Além disso, outra boa opção é o Organizze, ideal para quem não está acostumado a controlar quanto ganha e quanto gasta, monitorando e classificando os recursos. 

>> Registre despesas: 

Pode parecer besteira, mas quando se fala em planejamento financeiro, toda moedinha conta. Portanto, descreva e anote todas as despesas para não deixar passar gastos desnecessários. Inclusive, você pode utilizar um dos aplicativos que citamos acima para fazer esse controle.

>> Elimine as dívidas: 

Os juros das dívidas são vilões silenciosos que consomem grande parte do seu dinheiro. Então, a dica para um planejamento financeiro eficiente é manter as contas em dia, quitar as dívidas no cartão de crédito e cheque especial.

>> Defina quanto quer poupar: 

Essa é uma boa opção para se programar e entender o quanto você está disposto a investir no próprio sonho. Isso porque tão importante quanto definir a meta, é visualizar como será o caminho até chegar lá. Sendo assim, estipule uma quantia mensal para guardar, tire da sua conta e coloque em uma poupança ou outro investimento.

E aí, gostou das dicas para um planejamento financeiro eficiente? Agora, basta colocar em prática e começar escolhendo o seu imóvel dos sonhos entre os nossos empreendimentos disponíveis.

Acompanhe nossas redes sociais e não perca nada!